OK
Close

Condomínios adaptados aos pets

Imóveis

claudete campos região | 05/08/2017-19:39:56 Atualizado em 05/08/2017-19:39:28
Divulgação
KELMA | Diretora do Secovi diz que preocupação tem crescido

Os cães são considerados membros da família. Por isso, os incorporadores e as construtoras estão cada vez mais antenados com as necessidades dessa família moderna que faz parte da geração milênio (pessoas nascidas nas décadas de 1980 e 1990). Empreendimentos verticais já são projetados com equipamentos destinados aos mascotes. E a tendência é que surjam cada vez mais inovações nesta área.
A diretora de Administração Imobiliária e Condomínios da Regional do Secovi (Sindicato Patronal da Habitação) em Campinas, Kelma Camargo, disse que a preocupação com os pets cresceu nos últimos anos por conta de morarem também nas unidades autônomas, principalmente apartamentos.
Para se ter uma noção, Campinas é a segunda cidade do País em número de pets por domicílio. Os pets estão presentes em 56% dos lares campineiros, perdendo apenas para Curitiba, segundo levantamento do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais. No Brasil são mais de 70 milhões de cães e gatos, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Então, os incorporadores e construtoras criam espaços para que os tutores e os pets vivam dentro do condomínio fechado, sem a necessidade de fazer caminhadas nas ruas, até por conta da violência urbana. Segundo Kelma, empreendimentos já têm áreas para caminhada dos tutores e dos pets e para o mascote fazer suas necessidades. "A maior inovação e novidade é ter uma área só para o pet caminhar, como tem o playground e piscina. Isso para a gente é uma grande evolução", diz a dirigente do Secovi.
Também deve voltar à discussão sobre a criação de compartimentos de animais em elevadores, para evitar incidentes com os cães, como mordeduras e latidos e reações alérgicas. Segundo Kelma, a principal dificuldade ainda é a educação do tutor, que teria de contratar adestrador para evitar transtornos aos vizinhos, como latidos.
Conviver com os pets já é uma realidade entre os estabelecimentos comerciais e shoppings centers da região. "É também crescente a procura por espaços pet friendly, ou seja, que ofereçam uma infraestrutura preparada para atender os animais de estimação. Algumas empresas, inclusive, vêm se especializando no desenvolvimento de espaços de lazer para pets em condomínios, com áreas reservadas e equipamentos para entretenimento", disse a diretora.

Leia Mais