OK
Close

Humanização do atendimento

TodaGente

Texto | Claudete Campos Foto | Divulgação | 31/08/2017-23:38:21 Atualizado em 09/09/2017-00:47:36

Os médicos e a população de Americana discutiram os benefícios do cuidado domiciliar aos pacientes da terceira idade com doenças degenerativas e a acamados. A palestrante foi a médica Maria Izabel Pereira Santiago. A palestra foi realizada na sede da AMA (Associação Médica de Americana), no Centro, no sábado.
"O atendimento domiciliar favorece a desospitalização precoce, de forma segura, dando maior rotatividade dos leitos hospitalares para casos cirúrgicos, diminuindo o risco de infecção hospitalar e humanizando o atendimento do paciente", disse a médica.
Segundo Maria Izabel, o cuidado domiciliar pode ocorrer em qualquer fase da vida e deve ser multidisciplinar, com envolvimento de vários profissionais. Uma das modalidades de atendimento é de assistência e abrange pacientes de menor complexidade no tratamento, como recuperação de cirurgias ortopédicas, antibioticoterapia (tratamento com antibióticos) e acompanhamento de pacientes acamados.
A segunda modalidade, internação domiciliar, abrange pacientes de maior complexidade, que precisam de suporte tecnológico especializado e cuidado integral de enfermagem (UTIs - Unidades de Terapia Intensiva - em casa).
A médica explicou que a relação entre médico e paciente fica mais estreita nesse tipo de atendimento. O profissional chega a ser quase um membro da família e entende melhor o contexto ambiente-paciente-saúde. E assim busca o bem estar coletivo e engaja a família nos cuidados do paciente.
"Na finitude da vida, o médico também tem a oportunidade de assistir, aliviando o sofrimento, confortando o paciente e familiares e acompanhar, ativa e serenamente, os últimos momentos da vida", explicou a médica.
Rodas de conversa focam orientação
Outra iniciativa voltada à saúde e bem-estar dos idosos é a Roda de Conversa 60 , promovida pelo Comid (Conselho Municipal do Idoso) de Americana, realizada no Civi (Centro de Integração e Valorização do Idoso), em Americana. Palestras educativas serão realizadas no espaço. A primeira delas sobre Alzheimer foi realizada nesta semana. Cerca de 100 pessoas acompanharam as atividades apoiadas pela Secretaria de Ação Social e Desenvolvimento Humano.
A palestrante foi a terapeuta da Abraz (Associação Brasileira de Alzheimer) Lívia Maria da Silva. A presidente do conselho, Danielle Marques Curciol, informou em nota que o projeto é desenvolvido com profissionais especializados que abordam temas, como atividade física, Estatuto do Idoso, diabetes, entre outros, durante um café da tarde. A intenção também é aumentar a autoestima dos idosos.
As próximas edições vão abordar os temas "DST e HIV", no dia 27 de setembro, com a psicóloga Gislaine Cristina Monteiro; "Diabetes e Hipertensão", no dia 25 de outubro; e "Alimentando Emoções", no dia 29 de novembro, com a nutricionista Ana Paula Vacari. As palestras são realizadas às 14h, no Civi, com entrada franca.