OK
Close

Furacão Irma chega à Flórida e mata ao menos 3

Brasil e Mundo

10/09/2017-23:34:53 Atualizado em 10/09/2017-23:32:39
Gerben van Es | Mediacentrum Defensie
SAINT MARTIN | Ilha ficou devastada após a passagem do furacão

O furacão Irma chegou ontem à Flórida com menos força do que esperado. Ainda assim, ventos de até 215 km/h deixaram ao menos três mortos no Estado.
O Irma chegou a ser classificado como de categoria 5 -a mais alta- quando passou pelo Caribe, onde ao menos 27 morreram nos últimos dias. Na manhã de ontem, ele chegou as ilhas Keys, ao sul da Flórida, como um furacão de categoria 4, e foi rebaixado por duas vezes durante a tarde: primeiro para a categoria 3 e depois, 2, com ventos de até 177 km/h.
Na noite de ontem, o Irma tinha chegado a Naples, na costa oeste da Flórida, e a previsão era que o olho do furacão atingisse Tampa na madrugada de hoje.
A previsão da rota do Irma mudou nos dois últimos dias. No início, a expectativa era que a costa leste, onde fica Miami, fosse a parte mais afetada. A maior parte dos 6,5 milhões de moradores do Estado -quase um terço da população total- que receberam ordem para deixar suas casas vive na região leste.
No entanto, como o olho do furacão tem 40 km de diâmetro e gera fortes ventos e chuvas num raio de 600 km, a previsão era de tempestade para todo o Estado.
O empresário brasileiro Anderley Mello Junior, 36, que vive em Tampa há 12 anos, havia se preparado no fim da semana para permanecer em casa durante a passagem do Irma, mas não contava que a cidade estaria na rota do olho do furacão.
No fim da manhã de ontem, ele se mudou com a mulher, os filhos de 9 meses e de 4 anos, a mãe e a irmã para um abrigo em uma igreja, onde dormiriam em colchonetes. Na noite de domingo, havia 85 pessoas no local. Na casa da família, eles guardaram objetos de valor e retiraram quadros das paredes.
"Ficamos supernervosos quando a rota mudou, mas agora, vendo as notícias, descobri que ele virou categoria 2. Até falei para a minha mãe, que insistiu para que viéssemos para o abrigo, que não precisávamos ter saído de casa", disse à reportagem por telefone.
ALAGAMENTOS
Imagens mostravam casas destruídas e ruas alagadas em diversas cidades do Estado neste domingo. O governo estadual informou que cerca de 2,5 milhões de pessoas já estavam sem energia elétrica. O conserto das redes de fiação deve levar semanas.
O presidente Donald Trump anunciou que irá visitar a Flórida "muito em breve", sem especificar uma data, e assinou uma declaração de desastre para o Estado, autorizando um reembolso federal de 100% com gastos de emergência. "Eu acho que a parte pior está começando agora", disse Trump, que classificou o Irma como um "grande monstro". "Você não gostaria de estar nesta rota."
Os aeroportos de Miami, Fort Lauderdale, Tampa e Orlando estão fechados. Na área de Orlando, os parques Walt Disney World, Universal Studios e Sea World fecharam suas portas.
| FOLHAPRESS