OK
Close

Trabalho em casa tem prós e contras

Empregos

claudete campos região | 02/09/2017-17:29:32 Atualizado em 02/09/2017-17:26:30
Divulgação
RICCO | Na empresa, não há necessidade de presença física

Muitos profissionais têm optado por trabalhar em casa. Hoje em dia há maior abertura das empresas para que o funcionário fique conectado em sua residência, mas as exigências e o cumprimento dos prazos são os mesmos. O trabalho remoto é uma realidade em muitos países e também na região. Esta é uma questão de comodidade e para evitar as dificuldades de locomoção e o estresse dos escritórios.
Adotar essa prática vai depender muito da profissão e do perfil das empresas. Sempre vai haver vantagens e desvantagens de trabalhar fora do escritório, na comodidade do seu lar ou em escritórios compartilhados. Pessoas também podem trabalhar exclusivamente em casa ou intercalar dias na empresa e dias em casa.
A Home Office Brasil realizou uma pesquisa ano passado que demonstrou aumento de 50% no número de empresas que adotaram a atividade, 15% que estudam a implantação e 28% que estão na fase de formalização da medida. Não dá dados regionais sobre essa atividade. Também não há dados sobre o perfil desses funcionários, mas segundo os especialistas, o home office pode ser a melhor saída para as mulheres que precisam cuidar dos filhos.
O serviço em casa surgiu como alternativa para as empresas cortarem custos fixos. Também é muito adotado por empresas de tecnologia. Em compartida, o funcionário tem mais autonomia e trabalha com horários flexíveis. Atualmente, a palavra de ordem é colaboração. Como as pessoas têm cada vez mais acesso a tecnologia, as empresas têm acesso a esse banco global de talentos, que ajudam a entregar projetos de qualidade.
Algumas iniciativas nesta área demonstram essa tendência. Uma delas é da consultoria Eureca!, especializada em conectar jovens com o mundo do trabalho. A empresa não tem escritório tradicional. Todos os funcionários trabalham no local de preferência e ficam em diferentes cidades.
Segundo a empresa, a escolha foi por causa do alto custo de aluguel nos grandes centros brasileiros, do trânsito e da rotina cansativa e para gerar qualidade de vida. No caso da Eureca!, também tem acesso a talentos que podem colaborar de qualquer parte do mundo. "Com o Home Office, conseguimos atrair talentos até então impensáveis para nossa realidade e isso é muito positivo", disse o CMO (diretor de marketing) da Eureca!, Fábio Procópio, em nota.
No caso da Octadesk, startup desenvolvedora de sistemas para gestão de relacionamento com os clientes, a empresa optou pelo meio termo. "Nosso modelo de negócio é todo on-line, então, não há necessidade da presença física, o que possibilita um trabalho remoto. Às vezes, as pessoas têm necessidades e vale mais a pena elas fazerem o trabalho de casa, nós entendemos isso", disse o CEO da startup, Rodrigo Ricco, também em nota.
PRÓS E CONTRA
Segundo os dois especialistas, o profissional tem de ser maduro o suficiente para administrar o tempo corretamente ao fazer seu próprio horário. Segundo eles, trabalhar em casa prejudica o trabalho em equipe, porque a resolução de conflitos e o tempo de resposta demoram mais no trabalho em grupo. "Caso a empresa não seja capaz de criar um bom ambiente de colaboração virtual e cobrança mútua, o home office torna-se uma opção possivelmente prejudicial", explicou Procópio.
Além disso, no Home Office, as contas de energia, Internet e com telefonemas são de responsabilidade do funcionário. Cada caso é um caso, mas a maioria das empresas mantém vínculo com o funcionário.