OK
Close

'FISCALIZA CIDADÃO'

Fogo Cruzado

21/09/2017-00:51:26 Atualizado em 21/09/2017-00:47:19
Fotos: Claudeci Junior | TODODIA Imagem

O presidente da Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), deputado Cauê Macris (PSDB), lançou ontem, ao lado da mesa diretora da Casa, o aplicativo para celular "Fiscaliza Cidadão", que visar dar mais transparência ao parlamento paulista, segundo o tucano. O app entrega em apenas três toques informações como as placas dos veículos oficiais utilizados pelos 94 deputados, a lista de seus funcionários ou os gastos mensais de cada gabinete.

PRIMEIRA VEZ
Esta é a primeira vez na história que o próprio Parlamento Paulista lança uma ferramenta que possibilita que qualquer cidadão com um smartphone possa conferir os dados dos deputados. A partir de agora, novos dados serão incluídos no dispositivo com atualizações permanentes, segundo a assessoria de imprensa do presidente do Alesp.
PROMESSA
A viabilização do "Fiscaliza Cidadão" foi compromisso assumido pelo presidente durante sua posse, ocorrida no último 15 de março. "A sociedade esperava da Alesp esta abertura dos custos. Se queremos reconquistar a confiança das pessoas, precisamos dar o primeiro passo. Acaba aqui esta história de que a Alesp é uma caixa preta", garantiu.
CUSTO ZERO
A construção do Fiscaliza Cidadão não teve qualquer custo aos cofres do Legislativo paulista, de acordo com o Departamento de Comunicação de Cauê. Com a abertura de um chamamento público, a Alesp recebeu proposta da empresa WF Fondation, que atua na área de tecnologia de informação.
SAÚDE 1
O vereador de Americana Marschelo Meche (PSDB) criticou pelo Facebook o valor destinado no Orçamento de 2018 de Americana para a área de saúde. "Ano que vem Americana destinará R$ 126 milhões para a saúde pública, aproximadamente 16% de um orçamento de R$ 791 milhões. Creio ser insuficiente diante dessa crise que vivemos na saúde, mas também é preciso que venham mais recursos do Estado e da União e que a prefeitura os utilize da maneira correta. Não adianta a verba estar disponível e não licitarem empresas para executar os serviços", escreveu o tucano.
SAÚDE 2
O vereador Welington Rezende (PRP) também considerou o valor insuficiente. "Questionei nesta manhã (de anteontem) a previsão de redução dos atuais 35% do orçamento para 25,9% (R$ 132,3 milhões) destinados à saúde pública de Americana em 2018, conforme a Lei Orçamentária Anual apresentada hoje (anteontem) pela Secretaria da Fazenda na Câmara. A lei determina que sejam gastos ao menos 15% do Orçamento com saúde, é bem verdade. Agora, se com os atuais 35% da receita para a saúde já temos inúmeros problemas na prestação do serviço em UBSs (Unidades Básicas de Saúde), no Hospital, imagine ano que vem com 9,1% a menos de recursos?!", questionou o parlamentar, em texto divulgado em rede social.