OK
Close

Mais mulheres na política

Opinião

Marlene Campos Machado | Presidente Nacional do PTB Mulher - 01/09/2017-23:48:05 Atualizado em 01/09/2017-23:46:31

Uma reforma política é fundamental na construção de um País melhor para as próximas gerações. E me parece consensual que nela devamos debater o aumento da participação da mulher na política.
Dados do Ranking de Presença Feminina no Parlamento 2017 indicam que o Brasil deve atingir a igualdade de gênero na política só em 2080 e que, hoje, estamos ainda abaixo da média mundial de 1990 em participação feminina na política. No município de Hortolândia, por exemplo, apenas uma das 85 candidatas à vereança em 2016 foi eleita e 18,8% delas tiveram até dez votos nominais.
Uma mudança que potencialize a participação feminina na política já é realidade. Mas qual deve ser o papel dos partidos políticos nesse processo? Será que o atual formato partidário favorece a militância feminina?
São os partidos que definem quem poderá se candidatar e o tempo que seus candidatados terão no rádio e na televisão. Da mesma forma, com exceção dos cargos majoritários, o mandato pertence ao partido e não ao parlamentar, além da decisão sobre quais candidatos receberão da legenda maior ou menor apoio financeiro ou político.
Mas será que as legendas se preocupam realmente em formar lideranças mulheres, capazes de melhorar o País, ou apenas querem preencher as cotas mínimas exigidas pela legislação?
Há 20 anos desenvolvendo um trabalho social e político, pude tornar realidade um movimento com mais de 550 mil mulheres, que fazem muito por suas comunidades, até sem mandato. Mas sei da sorte de estar inserida em uma sigla que valoriza o papel da mulher na sociedade e que essa, infelizmente, não é a regra.
A estrutura partidária tem um forte e fundamental papel na política e qualquer reforma que não leve isso em conta terá seu alcance limitado. Mas esse debate vai além da igualdade. Ele trata do que realmente estamos dispostos a proporcionar para novas lideranças, que disponham de verdadeiro potencial.
Essa é uma questão a ser discutida por diversos setores da sociedade, uma verdadeira batalha a ser travada para oferecer às mulheres os espaços a que fazem jus no âmbito da política.