OK
Close

Homem pego com 76,5kg de maconha vendia a 'playboys'

Polícia

rodrigo alonsosanta bárbara d'oeste | 11/09/2017-22:45:35 Atualizado em 13/09/2017-23:17:11
Divulgação
MACONHA | Droga estava na casa do suspeito, identificada pela polícia há 15 dias

Policiais civis da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Americana prenderam, ontem, um homem com 76,5kg de maconha. O entorpecente estava na casa dele, no Parque Residencial Jacira, em Santa Bárbara d'Oeste. O suspeito disse à equipe que, geralmente, vendia droga para "playboys" da cidade, segundo o delegado Antonio Donizete Braga.
E.B.S., 36, conhecido como Neguinho, contou aos policiais que a mercadoria valia cerca de R$ 130 mil e fazia parte de uma carga de 300 quilos proveniente do Paraguai, a qual ele adquiriu pessoalmente. O acusado confessou ter vendido todo o resto.
"Ele revelou aos policiais que, geralmente, vendia para 'playboys' da cidade. Então, ele tinha uma clientela seletiva. Tinha o público-alvo dele, que era o consumidor principal do entorpecente", comentou Braga.
No imóvel, a Dise também localizou o motor de uma motocicleta furtada em abril, em Santa Bárbara d'Oeste. De acordo com o delegado, Neguinho afirmou ter comprado o produto e que sabia da procedência da motocicleta. Portanto, a Polícia Civil o indiciou tanto por tráfico de drogas como por receptação.
A corporação havia identificado, por meio de outra investigação, que uma pessoa de codinome Neguinho armazenava uma quantidade "significativa" de drogas em sua residência. Há 15 dias, a Dise descobriu a localização da casa, na Rua Ari Barroso, e passou a observá-la. O suspeito apareceu no local apenas ontem, quando foi detido pela equipe.
No imóvel, os policiais ainda encontraram um colete balístico e 32 mil microtubos vazios, entre outros objetos. "(Os microtubos) Usualmente são utilizados para fazer o acondicionamento de cocaína. Embora essa droga não tenha sido localizada lá, há um indicativo muito forte de que ele tem também relação com esse tipo de droga", salientou Braga.
A Dise suspeita que Neguinho faça parte de uma "rede de relacionamento".
"Agora, as investigações seguem no sentido de identificar a rede de relacionamento dele, que possivelmente ele deve fazer parte de outro grupo. E, nesse sentido, a polícia vai tentar identificar e prender os demais participantes dessa ação", ressaltou.